terça-feira, 4 de maio de 2010

"Uma Aventura na Praia"


Apresentação


Título: "Uma Aventura na Praia"

Autor: Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada

Editora: Caminho

Resumo:


A Teresa, a Luísa, o Caracol, o Pedro, o João, o Faial e o Chico foram passar férias para o campismo. As gémeas só pensavam em arranjar um namorado.
Quando lá chegaram, decidiram ir para a praia e conheceram o Duarte e a Inês. A Luísa ficou apaixonada, o problema era que ele tinha uma namorada.
No dia seguinte, foram para a praia e mais tarde voltaram para o parque de campismo e encontraram uma senhora chamada Alda Reinaldo, que queria ajuda para tomar conta dos seus filhos, a Bruna e o Bruno, pois naquele dia ela não estava em casa. Então, as gémeas decidiram ir com ela, pois pagava bem. Chegaram a casa de Alda Reinaldo e ficaram a tomar conta das crianças. Quando chegou o pai, as gémeas foram para o parque de campismo dormir.
No dia seguinte, o Chico e o Duarte foram mergulhar e as gémeas tiveram de levar a Bruna e o Bruno para a praia. Quando lá chegaram, o Chico e o Duarte foram mergulhar e caíram umas pedras da falésia. Como ficaram muito assustados, foram embora e as gémeas levaram os meninos a casa. No dia seguinte, foram escalar e encontraram uma gruta onde entraram. Chegaram a uma certa parte em que não podiam descer e encontraram uns fatos de mergulho. Como havia um acesso ao mar, o Chico e o Duarte vestiram os fatos e desceram. Encontraram um galeão e, mais à frente, encontraram outro onde estavam uns mergulhadores profissionais. Os rapazes foram apanhados e levaram-nos para a gruta onde estavam os amigos.
Ouviram-se vozes. Eram de Alda Reinaldo e do marido que acabaram por encontrar o Chico, o Duarte e os mergulhadores profissionais.
Depois de várias peripécias, os malfeitores foram presos.


Este livro deu-me inspiração para pesquisar sobre NAVIOS NAUFRAGADOS.

Tem havido em vários locais do mundo o saque de navios naufragados. Dois desses lugares são os Açores e o Brasil.
Há registo de cerca de 600 naufrágios nos Açores, entre os séculos XVI e XX e muitos deles foram de “navios tesouros”. Os navios naufragados nas águas açorianas vêm fornecer muitas respostas às questões que hoje em dia se levantam no que respeita à evolução do desenho e da construção naval em madeira, às práticas náuticas e aos circuitos de comércio e guerra naval pós-medievais.
Sob as águas do oceano Atlântico, na costa brasileira, foram encontrados igualmente destroços de navios naufragados nos últimos 500 anos que despertam a atenção de pesquisadores e a cobiça de caçadores de tesouros, que investem milhões de reais em buscas. Apenas parte da história do fundo do mar do Brasil foi decifrada: dos prováveis 11 mil naufrágios, pouco mais de mil foram catalogadas nos arquivos da marinha.
Um dos naufrágios mais famosos do mundo, deu-se igualmente no Oceano Atlântico, mas mais a Norte. Foi o do transatlântico Titanic. Deu-se na noite de 14 de Abril de 1912, na sua viagem inaugural, quando bateu contra um iceberg, tendo demorado duas horas e quarenta minutos a afundar-se depois, na madrugada do dia 15 de Abril de 1912. Até ao seu lançamento, em 1912, ele foi o maior navio de passageiros do mundo.



Fátima Pinho

Sem comentários:

Enviar um comentário